Aver o mar

A Ver-o-Mar era uma antiga aldeia piscatória e agrícola a norte da Póvoa de Varzim, Abonemar é o mais antigo topónimo de A ver-o-Mar e data de 1099. O povoamento do lugar deveu-se ao cavaleiro medieval D. Lourenço Fernandes da Cunha e seus sucessores. Apesar de sempre ter pertencido à freguesia de Amorim, uma provisão régia no século XVII uniu-a a um lugar do norte da então vila da Póvoa de Varzim; dado que era uma terra com uma população crescente de pescadores-lavradores. Só em 1853 é que passa definitivamente para o concelho da Póvoa de Varzim como lugar da freguesia de Amorim. É freguesia desde 10 de Agosto de 1922, ano em que se separou de Amorim. O núcleo rural de Aver-o-Mar já era significativo durante todo o século XX. Nas últimas décadas do século XX, com o crescimento urbano do Bairro Norte da Póvoa de Varzim, a povoação começou por ser urbanizada como sequência natural desse bairro. O que levou a que a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim ao esboçar o Plano de Urbanização que delimitava as novas fronteiras da cidade, passasse a incluir também esta freguesia. Apesar disso, em 2003 é conferida à freguesia o estatuto de “vila”. Em Janeiro de 2006, com a aprovação do Plano de Urbanização pelo governo nacional é que a freguesia passa a estar oficialmente incluída na cidade. Geografia O Cabo de Santo André localiza-se no norte da freguesia. O Rio do Esteiro divide a freguesia em duas partes: Norte e Sul. O Sul de Aver-o-mar está agrupado com o norte do Bairro Norte e é chamado de Agro-Velho – uma área urbana e balnear. Por outro lado, Santo André é uma área com carácter bastante próprio de identidade piscatória e alinha-se pela costa norte da freguesia. O centro de Aver-o-Mar localiza-se em volta da Avenida Nossa Senhora das Neves. Lugares A freguesia é dividida em dezoito lugares: Agro-Velho, Aldeia Nova, Boucinha, Caramuja, Fontes Novas, Fragosa, Mourincheira, Paço, Paranho, Paranho de Areia, Palmeiro, Perlinha, Finisterra, Paralheira, Refojos, Sencadas, Santo André e Sesins. Demografia A Ver-o-Mar é tradicionalmente dividida em duas etnias. À beira-mar vivia o pescador e seareiro de cabelo ruivo e corpo espadaúdo. No interior vivia o homem da aldeia do tipo galego de Amorim. Uma parte da população subsiste ainda da agricultura. Esta prática, outrora comum, está em forte declínio devido à pressão urbanística. Se exceptuarmos a freguesia-sede, Aver-o-Mar é a freguesia mais populosa do município da Póvoa de Varzim, com cerca de 10000 habitantes (8752 recenseados).